Eu continuo escrevendo, acontecendo por dentro,  bolinando silêncios, me vestindo de sol.
Não ando sumida, ando habitando estrelas, costurando saias de vento, vestidos de chuva,
retalhos  de bem.
Sim, sim, eu tenho saído pouco. Ando me enfeitando por dentro. Me esmiuçando no tempo.
Cantando cata-ventos, passatempos.
Entrelaçando dedos, mãos, abraços.



*Imagem: Weheartit

2 Comentários

  1. As vezes é mesmo preciso se fechar um pouquinho para o mundo e se abrir para dentro de si mesmo.
    Achei LINDO seu blog.
    Bjos,
    Taís
    amornosingular.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. eu continuo, continuando. Como rio que segue, que ri, que vai indo, indo sem se calar nas curvas.
    eu continuo como quem tranlada de um lugar pro outro, só guardando o vão que fica em meu medistino, qualquer espaço de canção
    qualquer estilhaço de sins e não... eu continuo, continuando.
    como quem explode, implodindo por entre um parar e outro, por entre um respirar torto de fazer brisa como se faz manhã
    tecendo no instante, um semblante sereno
    num sossego, num canto despido de mortes, de sortes adornadas e penduradas nos varais
    no canto dos cílios, na ponta dos dedos.
    eu vou indo, partindo, indo, sorrindo, seguindo...
    vindo
    sorvendo as horas como quem se lambuza de sorvete e fruta suculenta fresca do jardim de casa
    eu vou indo, nas minhas asas
    como quem acontece num piscar de olhos, um entregar às partes que se repartem, uma boniteza que desconheço, ainda por não caminhar direito, nessas calçadas descalçando os olhos, e descansando o olhar.

    Meu abraço,
    Sam

    ResponderExcluir