14.2.12

Dos não-regressos;



Tuas demoras me parecem irremediáveis. E aos poucos percebo que você já não cabe mais nas cartas, nos olhos, na cintura, nas pernas. Que transborda pelos movimentos, nos meus ventos de mar, no meu ar de respirar, nos corredores de hotéis.

É teu esse som de encantamento infinito. E eu gosto das notas, do tom, das esquinas entre uma frase e outra. Da comunicação silenciosa das linhas.

Os espaços me corrompem e eu luto pela integridade interior e física. Quero estar inteira para que me abraces nos muitos regressos que virão.



*Imagem: Weheartit

Desenvolvido por: Adorável Design Editado por: RM Design

imagem-logo