Ei menino, a gente sabe que algumas coisas precisam ser desfeitas, algumas pessoas precisam partir e alguns ciclos precisam se fechar.
E então...eu respeito o tempo de cada toque, de cada beijo, de cada flor.
Você é confuso, não quer se doar, dói por dentro porque acha que se externar isso, estará vulnerável.
Eu  tenho sonhos apressados, que não esperam o fim do dia.
Não é e nunca foi uma despedida, é uma partida sem rótulo.
Mares não secam, possibilidades ressurgem e corações precisam de ar.

Te deixo um beijo na testa e um toque de dedos.


*Imagem: Wehertit

2 Comentários

  1. Apesar de doce achei o texto bem objetivo. As partidas sem rótulos doem menos. Quem dera todas fossem assim.

    Beijo :**

    ResponderExcluir