5.9.12

para quem insiste em perguntar;





Existem coisas que não nasceram para serem ditas: iluminam, contorcem, energizam, contradizem.
Arrancam o juízo, as horas do tempo, o medo das veias, colocam alma da cabeça aos pés. Desatinam,
convencem, tecem teias de “para sempre” ao redor, fluem, descompassam, desarrumam cabelos, mãos, camas e carros.
[Nos] entregam, sufocam, consomem, sorriem sem lábios. Aceleram, atropelam as rimas, desfazem calçadas, criam estradas, caminhos.

Existem sem permissão. Sem audição. Sem público.
Colorem, descolorem, pactuam sóis e luas, comprometem os olhos, a casualidade, deixam-se perceber.

Existem.

Respostas, para quê?



*Imagem: Weheartit

Desenvolvido por: Adorável Design Editado por: RM Design

imagem-logo