20.10.12

velha ressaca;



Volto a dizer: você me dói. Dói muito.
E eu não consigo abrir mão, dizer não, fingir estranheza, ignorar o magnetismo, o lirismo desmedido dos diálogos, as declarações de olhar, de mar, de corpo que não sabe esconder.
Eu não consigo desviar do caminho, da boca, das intenções.
É um complô do tempo: que não faz  passar, dissipar, que se nega a amenizar nossas pulsações.

E tenho a impressão que te conheço tanto que desconheço a tua possibilidade de partir por iniciativa própria. Você não vai. Eu te mando embora e você volta. Liga, desliga, me abre o coração.
Me dói tudo, inclusive essa tua voz carregada de verdades. De instabilidades e insistências.

Eu fico porque sei não, desprender-me dos teus laços vermelhos.

Nos vestimos deste querer absurdo e acendemos estradas, olhos e caminhos.

Permanecemos até amanhã, talvez. Até a próxima dor. Ou até o próximo "para sempre" que encontrarmos.

Ou melhor, até que o "para sempre", nos encontre.



*Imagem: Weheartit




2 comentários

  1. Amor é algo que nos torna vulneráveis e nos tira de si..rs.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Amor? Ou paixão desmedida?
    ...
    Seja o que for, arrebata sem matar.

    ResponderExcluir

Desenvolvido por: Adorável Design Editado por: RM Design

imagem-logo