Dezembros soam como melodias pra mim. 
Capuccinos, janelas abertas para o frio, solidões pausadas para filmes, edredons e alguma nostalgia. Cartas fora das gavetas, canetas coloridas e rabiscos diversos. Dias possibilidades, noites de renovação e preparação para o ano que vem.
E vem sorrindo, abrindo as portas, cantando os mares, cristalizando encantos.

Somos feitos de possíveis, ele diz.


*Imagem: Weheartit



Um Comentário