Você não está e me faltam olhos, ouvidos, boca. Vinte dias que mais parecem vinte anos, vinte portas fechadas, vinte galáxias vazias. Eu preciso de fones, isolamento mental, noites de verão inventadas, pois chuva e frio agravam a saudade.

Salvam-nos os telefonemas, os olhares gravados e as fotografias de memórias.

Não sei, mas quando falo de reciprocidade, enxergo é tua retina  a fundo. E a tua intensidade não costuma falar, [se] me confessar, mas toca e conduz como nenhuma outra.
Eu quis escrever, não quis deixar escapar.

Se você me toca, ainda que de longe, esse frio vai embora, tenho certeza.



*Imagem: Weheartit

Um Comentário