E a vida é isso: uma folha em branco a nossa frente. E eu poderia escrever e publicar na mesma proporção que sinto, mas meu coração me pede pausas e segredo. Tenho textos incontáveis escritos no meu computador. Eu escrevo e corto, recorto, nomeio, renomeio e eles ficam lá, me olhando, caminhando por dentro. Não querem nascer e vir a público.

A vida também é segredo, suponho. São essas relações que nem todos sabem e nem todos enxergam: com pessoas, com livros, com músicas e com o tempo.

Caminhamos com folhas e canetas nas mãos, aptos a rabiscar  sobre qualquer tema.





*Imagem: Isavargas Fotografia

Um Comentário