não passa;

5.8.13


A quem eu quero enganar dizendo que isso tudo passa? Que eu não ando doendo você, respirando tuas presenças, repassando as tuas frases por horas e horas na tentativa de te transformar numa lembrança e só. Sem tantos encontros, desencontros, sem os diálogos carregados desta sentimentalidade imprensada na correria dos dias.

A quem eu engano?
Sério.
A quem?
A quem jamais conheceu ou soube de nossa história, talvez.
Pois os que sabem e sentem, tocam os indícios.

Abrir mão é como cortar os pulsos.

Mas é hora.
E me dói. E me dói. E me dói. E me dói.
Dói tudo e tudo não passa.

Antes tivesse sido uma miragem, uma vontade sem alma ou coragem, uma intenção.

Uma invenção. Olhos que me despiram e passaram, mudaram de estação.


*Imagem: Weheartit

Um comentário:

recentes antigos Página inicial