suspeita;

Sempre desconfiei disso: a força de Elisa está na ausência. Em ter que segurar o coração entre as pernas, em pousar, depois de voos arriscados, em devolver aos olhos a lágrima não derramada, em encerrar a garganta no silêncio, fechar as portas, descer das nuvens e voltar ao mundo real.
Impossível …

bilhete rasgado;

Ela anda densa. Imensa de não caber num quarto. Líquida de mar. Perfume doce.
Escorregadia. Movediça. Um terço de flores amarelas.
Voz que não grita, entranha.
Suavidade que decompõe as defesas.

Nada do "não lugar", de esperar ou consumir-se de nuvens.
Água é pouco de banhar-se nos verso…

Contact Form (Do not remove it)

back to top