Quem existe todos os dias?
Eu respondo:
Ningúem.
Os assombros fazem sombra
E o corpo despalpita sem aviso.

Somos mecânicos de pele e de agir.

Quem existe todos os dias?
Ninguém.
Inconstante, morremos sem permissão.
Acordamos sem sentidos.
Avançamos infinitos cegos de mundo.

Eu não existiria todos os dias.
Preciso de folgas, de pausas e de piqueniques.


*Imagem: Weheartit