Você era a noite de chuva, a voz de Adele ecoando peito a dentro. Ninguém poderia imaginar o quanto você me doía, o quanto me partia em muitas, o quanto me revirava dentro, fora, papéis, cama, canetas.

Ninguém sabia.

E quem sabia de nós, sabia que a pele era apenas um limite, uma demarcação da tua influência, dos teus olhares , do teu par de mãos sobre meu jeans escuro. Ninguém me olhou como você: Arrancando letras bonitas da ponta dos meus dedos. 

A música não pára, Adele canta pra nós, você consegue ouvir?
As mentes trabalham, os corações batem, somos fogos de artifício no ano novo.