10.8.16

A Caixa da Memória



Sempre que sou presenteada com momentos bons, abro a caixa da memória e os guardo lá. Isso foi uma coisa que aprendi com o tempo. Vou armazenando combustível, para quando aquele dia D chegar entende?

Todo mundo na vida, tem aqueles dias de desespero, de sem direção, sem norte. De não saber aonde ir, de não ter colo, de não querer saber de amigo, de esquecer como se faz um pé depois do outro, de não querer levantar da cama, pôr a cara na janela, se vestir e sair. Todo mundo tem.

Todo mundo pinta ansiedade vez em quando. Todo mundo conhece céu nublado, tempestades, poeira e esquecimento, ainda que proposital.Todo mundo tem o seu dia de “Quero ficar sozinho”, “Quero pensar na vida”, “Quero virar mar”. A gente reúne uma pilha de bons livros, chocolate quente, cortinas fechadas, filmes clichês e algumas músicas para rasgar a alma. A gente se tranca no quarto, no peito, nos olhos.

A gente se limpa de tudo.  E tudo fica claro. Claramente.

Abro a caixa da memória, o combustível da vida está lá. Respiro, renovo, silencio e flores nascem. Abro as cortinas, visto primaveras e vou caminhar.


*Imagem: Théo Gosselin

Um comentário

  1. O esquema é muito interessante. É, todo mundo tem dias de limão com sumo e tudo, e uma caixa de coisas boas da memória ajuda demais. Muito bom.

    ResponderExcluir

Desenvolvido por: Adorável Design Editado por: RM Design

imagem-logo