Não tem receita pronta, eu sei. Viver pode ser farto e vazio ao mesmo tempo. Há equilíbrio e tombos no mesmo caminho. O caminhar não pode parar. Seja amena com os temporais, deixe as nuvens mais azuis só por um tempo. Não abafe o som dos auto-falantes quando eles trouxerem notícias boas. Não arranque das caixas de música a nossa trilha sonora.

Deixe de amarelar os livros, mulher! Uma proteção plástica nunca mostrará a beleza que mora nas capas deles. Vista-se de proteção ao sair de casa, estão baleando almas bonitas por todo lugar. Alguns jardins estão deixando de florir. Estações do ano estão trocando de lugar. Temos frio no verão e calor no inverno. Folhas secas na primavera e pétalas coloridas no outono. Tudo culpa da desordem ambiental.

Seja menos dura com as nuvens. Deixe o tempo curar, como sempre foi. Multiplique os abraços de ursos, os olhares flamejantes, os artistas, os compositores, os que colorem a estadia na Terra. Prolongue o riso, transforme as lágrimas, construa casas bonitas, estilo americanas. Amplie o céu e acenda as estrelas.

Menos aviões e mais asas. As pessoas por aqui precisam sonhar mais.

Não tem receita pronta, eu sei. Viver é contar ou cantar.




*Imagem: Théo Gosselin

2 Comentários

  1. Gostei! Viver é isso que somos e fazemos, seja o que for. Não sei se eu canto ou se eu conto. Estou pensando, você me pegou sem uma resposta ainda. Bonito demais. Valeu! Beijo

    ResponderExcluir
  2. não sei dizer que sentimento esse teu texto me causou. Só sei que arrepiou bonito.

    Lindo, lindo

    ResponderExcluir